­Top Banner Advertisement

 

Data-base: votação em segundo turno fica para depois das eleições

O projeto de lei que reajusta a data-base dos servidores do Governo do Paraná, entre eles os da Polícia Científica, só será votado em segundo turno pela Assembleia Legislativa após as eleições. É que a governadora Cida Borghetti, no dia 10 de julho, decidiu retirar a proposta da pauta de votações, depois que deputados estaduais apresentaram uma emenda elevando o percentual de aumento de 1% para 2,76%.

Sinpoapar cobra explicações sobre corte de nomeações para a Polícia Científica

Após a confirmação da redução do número de nomeações para a Polícia Científica do Paraná – de 292 para 162 – o Sinpoapar, na figura do presidente Alexandre Brondani, se reuniu com a direção da PCP no dia 5 de julho para tratar das razões do corte de vagas. Leon Grupenmacher, diretor, explicou que o Governo do Paraná decidiu cancelar 130 vagas por orientação da Secretaria Estado da Fazenda (Sefa), apesar de toda a negociação com todas as secretarias estaduais relacionadas. A Sefa foi responsável pela não ampliação de todas as vagas necessárias.

Data-base: sindicatos do funcionalismo público do PR pressionam por reajuste

Entre os dias 11 e 13 de junho, entidades sindicais ligadas ao funcionalismo público do estado, entre elas o Sinpoapar, estiveram mobilizadas em frente ao Palácio Iguaçu, sede do Governo do Paraná, para cobrar isonomia no pagamento da data-base para a categoria – que estaria acumulada 11,53% e que estaria sendo negociada com a gestão Cida Borghetti, que sinalizou, em maio, a possibilidade de dar reposição de 2,76%, referente aos últimos 12 meses.

Nomeações: agenda entre Comissão e Sinpoapar com Cida Borghetti é adiada

Mais uma tentativa de sensibilização pela nomeação de mais peritos oficiais e auxiliares para o quadro da Polícia Científica não chegou a ser concretizada em 28 de maio. Uma agenda com a governadora do Paraná, Cida Borghetti, marcada pela Comissão de Aprovados do Concurso de 2017 para a Polícia Científica e acompanhada pelo Sinpoapar não chegou a acontecer no Palácio Iguaçu.

Perícia no Paraná: fila de espera na computação forense é de quase 17 mil materiais aguardando exames e laudos

Quase 17 mil materiais aguardam a perícia da seção de Computação Forense do Instituto de Criminalística (IC) de Curitiba, para que investigações criminais de diversos tipos possam ser concluídas. São celulares, tablets, notebooks, HDs e até vídeo games, que estão parados na capital do Paraná esperando para serem examinados pela unidade da Polícia Científica. Equipamentos que armazenam dados digitais que podem confirmar, ou não, a autoria ou intencionalidade da prática dos mais diversos crimes.

Páginas

Top